Pular para o conteúdo principal

Porque cariocas obrigam as pessoas a gostar de futebol

Um membro de nossa equipe estava assistindo um documentário onde o apresentador visitava um povoado no deserto do Saara e foi convidado pelo anfitrião a comer um testículo de camelo recém-morto. O apresentador, um biólogo ex-militar, ficou meio enojado, mas tentando ser gentil, topou a estranha degustação. Comeu, mas vomitou depois, longe dos olhos do anfitrião. mesmo assim pediu desculpas, argumentando que não estava acostumado aquele tipo de alimento.

Hoje de manhã, nosso amigo contou o que viu e comparou ao fato dos cariocas obrigarem quase todo mundo a gostar de futebol. No mínimo você tem que ter um time na carteira de identidade. De preferência um dos quatro "fantásticos" (Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo). Torcer por outro time (por exemplo o América e o Bangú) não bale, embora seja usado frequentemente por quem não curte futebol, pois o risco de ser desmascarado como falso torcedor é menor.

Nossa equipe gosta de assumir que não curte futebol. Mas quando isso não é possível, alguns de nós fingem que é torcedor do América e outros do Bangú. Quem vos escreve é "americano desde criancinha" embora nem mesmo sei qual a situação do time em campeonatos neste ano.

Para o carioca, é uma ofensa assumir o desprezo pelo futebol. É como ir a um restaurante italiano e assumir que não gosta de macarrão. Um de nossos membros detesta macarrão. Os cariocas gostam de dividir a sociedade entre os quatro principais times e é um sinal de simpatia e de bom convívio social estar em um destes times. Bom lembrar que machos cariocas são monotemáticos em seus assuntos: só falam em futebol. Fugir do assunto é recusar amizade: vira persona non grata na hora.

Claro que cariocas fingem que não obrigam ninguém a gostar de futebol. Mas se incomodam quando percebem que alguém não gosta do esporta mais popular do país. Cariocas evitam posar de autoritários fingindo que não obrigam o hobby. Mas sempre argumentam "você não é obrigado a gostar de futebol, mas seria bom que gostasse". "Seria bom" significa "você é obrigado sim".

Para se ter uma ideia, tente achar algum famoso carioca que não curta futebol. Mesmo que de fato haja, ele fingirá que gosta e até escolherá "seu time do coração" para não ofender a sociedade carioca. Até se trancafiar em casa e desligar a Tv na hora do "jogaço importante" daquele "tal time do coração". Aí poderá secretamente fugir da que hobby exigido por quase toda a sociedade de um estado, encafifada em impor aos outros como deve se divertir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

7 Táticas para conversar sobre futebol

Comentário deste blogue: estas dicas são muito boas para quem não curte futebol e convive com pessoas que exigem o gosto por este hobby pr manter amizades e benefícios sociais.
Autor do texto: Danilo Barba - Site Area H Sobre Danilo Barba: Danilo Barba é músico e jornalista pós-graduado em Negócios Internacionais pelo George Brown College de Toronto. Bloga sobre Sexo Oposto no Yahoo Mulher. No Insta e Twitter: @dambarba
Acompanhando os jogos da Copa América? Indignado com a punição de Neymar? Acha que Fernandinho e Elias têm potencial muito maior do que apenas armar jogadas para artilheiros? Enquanto muitos adoram falar ativamente sobre tudo que envolve futebol ou esportes, outros morrem de tédio. Em nome dessas pessoas, Dave Holmes, respeitado escritor norte-americano e colunista da Esquire, sugeriu um guia para salvá-las do tradicional papo esportivo. “Existem alguns truques que você pode usar para ninguém pegar no seu pé só porque você não liga para esportes”, garante ele. E você, a…

Quando falam em futebol, esquerdistas impõem visão subjetiva do esporte

Gosto é algo muito pessoal. Diferente do valor cultural, gostar de algo reflete apenas o fato de alguém sentir prazer com determinada coisa. E prazer varia de pessoa para pessoa, o que impede qualquer absolutismo. Não dá para impor uma fonte de prazer a outras pessoas. Cada um que fique com a sua fonte de prazer.
Mas no caso do futebol, é claro o desejo de muitos que o seu prazer seja repartido, como numa gigantesca orgia. Quem gosta de futebol detesta saber da existência de quem não curte. O sonho de qualquer torcedor é ver o seu maior prazer convertido em unanimidade para justificar a tola tese de "origem biológica" do hobby. Ou seja, "quem não curte futebol, bom sujeito não é". Como leprosos, não-torcedores merecem o isolamento total.
Só que não dá para agradar a todos e é inevitável a existência, mesmo minoritária, de pessoas que se recusam a participar desta imensa e barulhenta orgia futebolística. O que tira qualquer tipo de objetividade no discurso de defesa d…