Seguidores

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pausa para o intervalo



Durante um tempo não teremos postagens. Sabe como é, exercícios físicos às vezes cansam um pouco. Vamos dar aquele aquecimento e voltaremos em breve. Aguardem e continuem torcendo por este blog campeão!

domingo, 28 de outubro de 2012

Todos querem ver Neymar fazendo o que não sabe

Não tem jeito. A mídia quer transformar o Neymar no novo Pelé. isso porque apenas uma: eu disse apenas UMA coisa os une que é ter jogado no Santos. E só. boa parte do "talento" de Neymar é treinado, forjado, coisa de proveta. Há muito não temos o futebol-arte, assassinado no início dos anos 90 pelo futebol-comércio. 

O que interessa é ganhar dinheiro, mesmo que para isso tenha que se fingir que o futebol-arte ainda respira, mesmo sob aparelhos. Mas é como naquele filme "Um morto muito louco", onde dois jovens fazem de tudo para que pensem que o seu patrão falecido pareça vivinho da Silva.

E Neymar, a "bola" da vez se tornou a celebridade mais bajulada pela mídia e pela população brasileira (sempre submissa á mídia) nos últimos anos. E pelo jeito, todos gostaram de enfiar o pobre coitado em todos os eventos não-futebolísticos que derem "na telha".

Clipe musical, propaganda de carro, novela, workshops e o escamba, onde você quiser e principalmente onde você não quiser, lá está a cacatua humana dando o ar da sua sem-gracice para que todos possam fingir que estão felizes. E desta forma, o Neymar só consegue passar vergonha, pagando homéricos micos.

E se como jogador, Neymar é apenas correto - apesar de bajulado como "grande jogador", a sua competência se equipara a jogadores medianos do auge do futebol brasileiro, entre o final da década de 50 e a metade da década de 80. Nada muito espetacular, nem mesmo para quem curte futebol.

Quando eu vi uma campanha pela escalação do Neymar, no programa de humor sem graça Legendários, o "Pânico na Record", achei que era piada, pois não conhecia o jogador e pensei que estavam fazendo ironia pelo fato de ser um jogador ruim. Não era. Era a primeira tentativa de hipérbole midiática em torno do jovem jogador. Daí em diante a bajulação só cresce, enchendo o saco até de quem curte o futebol, incluindo mesmo os fãs do jogador, que não devem estar nada contentes com a excessiva bajulação, com medo que prejudique a atuação em campo. Quem conhece o caso Adriano, sabe o que estou dizendo.

Sinceramente, o Brasil deveria parar de ficar procurando heróis. Na política, religião, cultura e esportes, estamos há muitas décadas tentando achar alguém que faça o papel de herói, numa figuração que compense a nossa incapacidade não assumida de resolver os nossos próprios problemas.

É melhor deixarmos o garoto em paz, fazendo apenas o que sabe fazer, dentro dos seus limites e tentar procurar o heroísmo em nós mesmos, procurando resolver os nossos problemas e parar de usar o futebol para fugir de nossas responsabilidades. Até porque bolas na trave não matam nenhuma fome. Só a "fome" de gol. O que já é demais.

domingo, 21 de outubro de 2012

Família de Bruna Marquezine é contra romance dela com Neymar

OBS: Paulo Francis já havia dito que mulher nunca escolhe homem por caráter. Estamos cansados de saber que as melhores mulheres, em sua maioria esmagadora, normalmente se casam com os piores homens, sejam os sisudos e nada românticos homens de negócio, passando por robotizados profissionais liberais até chegar a jogadores de futebol semi-analfabetos e chegados a uma farra. 

Aliás, jogadores de futebol, quase todos vindos de classes mais carentes - carentes até de inteligência e bom gosto -  são do tipo "nunca comeu, quando come se lambuza", doidos para ostentar a riqueza repentinamente adquirida que nunca tiveram antes.

O arroz de festa Neymar está em tudo. É tratado como um "deus" pelo simples e inútil fato de chutar uma bolinha em uma rede (só um país de idiotas é capaz de endeusar um inútil como ele) e para cerejar isso só faltava alguém para exercer a função de "primeira dama" conto de fadas de araque.

A propósito: Não é só a família da jovem atriz e os fãs masculinos da mesma que não gostaram da notícia. Nicole Bahls, declaradamente apaixonada pelo jogador e que disse que "sonha em casar com um cara legal", mas é famosa pelo pavio curto, deve estar uma arara com a notícia. Marquezine corre sério risco ao se encontrar com Bahls.

Família de Bruna Marquezine é contra romance dela com Neymar

Fabíola Reipert - Portal R7

Será que a bela Bruna Marquezine caiu nas garras de Neymar?

Não foi visto com bons olhos pela família de Bruna Marquezine o fato de a atriz possivelmente estar de rolo com Neymar.

O jogador espalhou para amigos uma foto com a atriz e ainda disse que estão namorando, segundo um site de celebridades.

A mãe de Bruna já saiu logo dizendo que não sabia de nada.

Mas a verdade é que isso caiu como um bomba. Ninguém gostou. Pessoas próximas a ela acham que a menina pode sofrer se ficar apaixonada.

Além de jogador ter fama de mulherengo, Neymar pode ir embora do país a qualquer momento.

E ninguém quer que Bruninha vire a nova Sthefany Brito...

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Não curte futebol? Considere-se inimigo da sociedade!

No Brasil, gostar de futebol é uma obrigação. Tanto é, que a maioria verdadeira demonstra nem curtir direito o esporte, não entendendo a parte técnica, se entediando durante os jogos e errando os nomes nas escalações, além de claro, ignorar todo o histórico sobre o esporte. O legal, para estas pessoas é estar incluído na sociedade, usufruindo dos mesmos direitos que esta mesma sociedade oferece.

Mas num país capitalista como o nosso, tudo tem um preço. E o preço de ser incluído na sociedade é gostar de futebol, no mínimo tendo algum time na carteira de identidade. É uma exigência tão rígida que se alguém assume que não gosta de futebol, quem gosta se sente ofendido e trata aquele que não gosta como uma espécie de inimigo público, capaz de gerar algum dano à sociedade.

Claro que esse pensamento é preconceituoso, mas num país onde todos são educados desde criança a gostar desse esporte e onde a mídia ignora a existência de quem não curte, como se "brasileiro" e "torcedor de futebol" fossem sinônimos, é natural que os preconceituosos ajam dessa maneira.

Eles ignoram que lazer não pode ser imposto. Lazer deveria ser fonte de prazer. Se o futebol não dá prazer para muita gente, paciência. É um direito não gostar.

E o que é mais estranho é que quem gosta age como vítima diante de quem não gosta, achando que o  avesso ao futebol irá proibir quem gosta de aderir ao esporte. Mais preconceito. Primeiro porque quem não curte só reivindica o direito de estar alheio, mas incluído socialmente. Segundo, quem curte nunca deve reclamar de preconceito, pois não sofre isso: pois toda a sociedade, toda a mídia e todas as autoridades estão do lado de quem curte futebol. Quem não curte é que caia fora dessa sociedade.

Não sabemos até quando isso vai durar. O fato de que o país vai sediar a próxima copa já aumenta o fanatismo futebolístico. Ainda mais que haverão melhorias - de fachada - em nome dessa copa, o que poderia servir de justificativa tola de que "o futebol melhora vidas".

Só sei que quem não curte tem todo o direito de viver bem, ter amigos e usufruir tudo de bom que a sociedade oferece. Ninguém pode ser privado por não curtir o que -supostamente - a grande maioria curte e que na prática não passa de uma obrigação social.

Vejam bem, um jogo de 90 minutos, praticado por um monte de analfabetos, com o único objetivo de enfiar uma bola em uma redinha, ao som de muita gente berrando feito alce, não pode nunca ser considerado integrante da etiqueta social.

domingo, 14 de outubro de 2012

Acostumar mal dá nisso

O arroz de festa da atualidade, a super celebridade do futebol e artilheiro nas horas vagas, Neymar, não para de se envolver em participações especiais de todos os tipos. 

Já que se acostumou a tantas participações, agora é ele que pede para participar. Evopcês acham que alguém vai negar? Nããããoooooo!!!...

O pentelho agora quer participar do capítulo final da novela Avenida Brasil, que incluiu uma tama terciária sobre futebol em seu roteiro. Ainda bem que a novela não conseguiu aumentar o fanatismo epidêmico que reina em nosso país há muitas décadas, alienando gerações e mais gerações. Se aumentasse, iria agravar o que já se encontra em estado catastrófico.

Com a boa vontade do arroz de festa de participar, certamente a Rede Globo, verdadeira dona da CBF, não vai negar essa oportunidade de fechar a novela do horário de maior audiência com essa cereja topetuda sobre o bolo.

E quem sabe o mitológico jogador possa ter escolhido a sua futura carreira, após encher o saco dos mais sensatos com sua fútil e inútil vocação de chutar bolinhas em uma rede, algo tratado como "heroísmo" por um povo idiota e crédulo, que é estimulada a nunca usar o discernimento.

domingo, 7 de outubro de 2012

Já pensou se fosse na copa? Que maravilha!!!

Na última quarta feira, o esperado jogo entre a Seleção Amarelão contra a sua arqui-inimiga Argentina foi cancelado por falta de energia elétrica no estádio. Claro que os futebosteiros (leia-se torcedores) não gostaram nada disso. Ainda mais que o jogo era considerado um clássico e os brasileiros sempre aproveitam a oportunidade de humilhar os argentinos no futebol - enquanto que em cultura e em educação, é a vez dos argentinos darem murro em nossas caras.

Mas já pensou se na copa desse pane em Itaipu e a energia em todo o país caísse? Claro que em jogos diurnos daria-se um jeito, apesar de obrigar a todos a irem ao estádio se quisessem ver as partidas, já que não seria possível assistir pela televisão, a traficante deste narcótico chamado futebol.

Mas seria uma forma de tentar acabar com esse fanatismo idiota que transforma o futebol em obrigação cívico-social, a ponto de se criar um preconceito contra quem não curte o famoso esporte.

Está mais do que na hora dos brasileiros terem uma boa lição para aprenderem a não colocar brincadeira acima de assuntos sérios. Nem que apenas um apagão elétrico tenha que ocorrer para isso.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Footbus para lembrar Fetransrio

Hoje começa o Fetransrio, evento sobre as novidades do mundo do ônibus, no Rio Centro. Para lembrar, coloco aqui fotos mais recentes onde aparecem ônibus com referências ao futebol. Nada que possa ser realmente útil (como adoram colocar futebol em outros assuntos...), mas apenas como uma curiosidade.