Seguidores

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Não dá para fazer retrospectiva em ano de copa

Anos de copa do mundo de futebol são sempre vazios. Pouca coisa acontece. O povo imbecilizado, hipnotizado pela mídia condiciona todo o seu cotidiano para o esperado evento a ocorrer durante todo um mês, de quatro em quatro anos.

A primeira metade de um ano de copa em um país que obriga a todos a gostarem de futebol, desrespeitando o direito de quem não curte, é totalmente dedicado a expectativa do início do evento, o que faz com que o ano só comece de fato após o encerramento do evento (ou da derrota da idolatrada "seleção" de ricaços analfabetos comedores de mulher). Um ano comum, no Brasil, costuma iniciar somente após o carnaval. Lembrando que as copas são na verdade outros carnavais...

Por isso fica maio difícil fazer um retrospecto decente do ano. O que posso dizer é que o que marcou neste ano foi a queda das máscaras. Os defeitos que observamos em forças conservadoras de todos os tipos começaram a aparecer. O fanatismo futebolístico do brasileiro mostrou que o nosso povo não tem medo de passar por ridículo. As polêmicas com busólogos mostraram quem eles são e para que vieram. O popularesco se mostrando cada vez mais mercenário, ilusório e anti-cultural. O Wikileaks mostrou todos os podres das autoridades mundiais, inclusive as brasileiras. Os poderosos meios de comunicação mostrando suas verdadeiras caras de vilãs e forças retrógradas como a Opus Dei mostrando que estão mais vivas do que nunca.

Falando em busólogos, o fato mais marcante foi o horrendo novo sistema de ônibus que o prefeito-maluquinhozinho Eduardo Paes quis impor ao município do Rio: cheio de defeitos, disfarçados em uma medonha padonização visual que desagradou a todos e está gerando a maior confusão entre os usuários. Mudou o time que estava ganhando.

Mas 2011 nos reserva esperanças, com a queda das máscaras de quem está mal intencionado com a sociedade, seja bandido ou não.

Com a proximidade da transformação do planeta Terra, é necessário conhecer quem prejudica a evolução da humanidade, desrespeitando direitos alheios e impondo pontos de vista. Por isso mesmo, 2011 vai dar o que falar, pois ainda veremos a queda de muitas máscaras.

Até o próximo ano. Feliz 2011 e... juízo!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Hino do fracasso da copa de 2014 e da olimpiada de 2016

Quem mandou fazer copa e olimpiada sem ter dinheiro para tais? Pensam que vão ter retorno financeiro para compensar isto? Estão sonhando! A África do Sul já amarga um enorme prejuizo por causa da copa que sediou.

O Brasil não precisa de copa e olimpiada para incrementar seu turismo. Basta cuidar das nossas privilegiadas paisagens.

Quando acabar estes eventos caríssimos, a conta virá com certeza. Sabemos que quem irá pagar vai ser a fatia mais humilde da população. A corda sempre arrebenta para o lado mais fraco.

O nosso amigo Beaker irá cantar o "Hino à Vitória" em homenagem a realização dispendiosa dos dois eventos. Depois, vejam o que acontece com ele. É o que acontecerá com as cidades que realizarem os eventos daqui a poucos anos.

O mundo pode não acabar em 2012. Mas o Brasil vai acabar em 2017. Aguardem e confiem.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Cada um enxerga como quer: a derrota da "seleção" brasileira

A derrota da "seleção" brasileira, segundo os "patriotas" de copa:


A derrota da "seleção" brasileira, segundo quem não gosta de copa:

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Cada um enxerga como quer: Dunga, o (ex-) técnico

Dunga, visto pelos torcedores "patriotas" de copa, hipnotizados pela Rede Globo:


Dunga, visto pelas pessoas esclarecidas, que conhecem o poder hipnótico da Rede Globo:

sábado, 3 de julho de 2010

O direito de ser alienado

OBS: O texto que vocês irão ler é fictício, criado por mim. Mas é uma síntese do pensamento que passa nas cabeças de todos os alienados que privilegiam futilidades e esperam a redenção para suas vidas, vindo dessas mesmas futilidades.

Criei um personagem fictício e posto aqui como se eu tivesse recebido um recado ofensivo dele. É na verdade um resumo de vários tipos de defesa de pontos de vista conservadores e ignorantes. Alguns aspectos já foram relatados em mensagens horríveis que recebi aqui e tive a ética de não publicar.

Caracterizo o personagem como favelado só para dar ênfase à falta de instrução escolar e ao estilo de vida. Lembrando que nada tenho contra pessoas que moram em favelas. Existe gente inteligente e educada que mora nelas, por não ter outra oportunidade na vida. Mas são exceções. Infelizmente, temos que reconhecer que a maioria dos moradores não se caracteriza por uma inteligência bem desenvolvida, até por não ter tido quem orientasse ou desse condições para obtê-la. Mil perdões para quem se sentir ofendido com a hipérbole.

Com vocês, um ignorante zangadinho esculhambando o meu blog.

O direito de ser alienado

Por Cauê Pereba - "recebido" em 03/07/2010 - Publicado no Planeta Laranja

Eu gostaria de saber onde você estava com a cabeça quando criou esse maldito blog. Você tem raiva das pessoas, é? Não sabe respeitar quem está de bem com a vida? Porque você não está de bem com a vida? Saiba que a maioria sempre está com a razão. Claro! É como nas eleições, quem ganha é quem foi votado pela maioria, certo? Então é a maioria que está certa! Entendido, seu viado?

Aliás, falando nisso, quero deixar claro que adoro empresário. Você me chama de direitista? Direita é você. As ideologias acabaram. Sou do povo, da democracia, não quero saber quem é isso ou aquilo. Empresário é trabalhador, sim! Você odeia empresários só porque eles ganham um pouquinho mais que voce? Ora, vá trabalhar e lute para ser como eles! Eles são gente boa, que sofrem muito para manter suas empresas em pé.

Ah, e adoro a Rede Globo! Você é um imbecil? Como é que a opiniãozinha de um reles blogueiro pode desafiar as lições sábias de uma empresa com mais de 40 anos de existência, que contrata os melhores profissionais do país? Você está errado! A Globo deu um show de jornalismo na copa, principalmente nas tacadas certeiras de Tiago Leifert e do grandioso e imortal Galvão Bueno, que é o meu chapa. Não sei porque chamam esses dois de chatos. O jornalismo deles é descontraído e animou a torcida. FALA, GALVÃO!!!! Pena que o Brasil não levou mais essa. Temos os melhores jogadores do mundo e o infeliz do Dunga não os chamou. Ele é que é filha da puta, junto com você e seu maldito blog. Voce é um infeliz, Marcelo!!!

A minha pátria adorada perdendo por causa de uns infelizes. Eu amo meu país! Dane-se se tem miséria e corrupção! Importante que no futebol ele é IMBATÍVEL! IM-BA-TÍ-VEL, escutou? Não tem para ninguém! Podem morrer de fome, podem roubar e até me matar! Amo o meu Brasil, que é representado por essa seleção sempre maravilhosa e pelo povo que enche as ruas com sua alegria verde e amarela. Sujou as ruas? Desde quando enfeitar a minha rua com as cores de MEU PAÍS é sujar? Ricardo Teixeira, quem é Ricardo Teixeira? Quem comanda a seleção é a torcida e e só ela, SOMENTE ELA, pode fazer com que sejamos campeões. Se o Dunga tivesse escutado a torcida teria ganho.

Jogadores ricos e analfabetos? De onde você tirou isso, cara? Os caras são pobres, humildes, vieram da favela e a genialidade deles está no pé. Não precisam de livros. Aliás odeio livros. Um monte de papel que não serve para nada. Puro desperdício! Já futebol não. A seleção é o MAIOR PATRIMÔNIO DE NOSSO PAÍS e o dia em que todo o território do país for destruído e só sobrar a seleção, posso ficar tranquilo, que o MEU BRASIL ESTARÁ SALVO.

Mas pena que perdeu. Você deve ter feito a maior urucubaca. Você e aquele tal de Mico Jegue. Mico Jegue! Só pode ser jegue mesmo. Que cantorzinho ruim! O que ele canta gente não entende. Depois dizem que canta bem. Eu detesto rock. Musica de ignorante. Todo roqueiro canta enrolado por causa das drogas. Tudo maconheiro! Fodam-se os roqueiros! Cantor mesmo é o cara do Rebolation, o Léo do Parangolé. A genialidade impar dele fez criar uma canção que é sucesso nacional, na boca do povo. Poeta o cara.

O povo é que sabe curtir. Temos grandes cantores na atualidade: Ivete Sangalo, Claudia Leite, Alexandre Pires, Maicon Jackson, Belo, Créu, Padre Fábio (benção, meu padre!) Popozuda, Lacraia, Chicletão, Chitãozinho, Calypso, Calcinha, Luan Santana e o inigualável Exaltasamba. Aliás fiquei puto com os holandeses! O Exalta já ia fazer a trilha do hexa, que já estava certo. Seria um musicaço! Fiz até uma placa já com a vitória de 2010 prontinha.

Filhas da puta! Essa copa foi comprada! A vitória do Brasil era uma certeza! Mico Jegue desgraçado! Canta mal e ainda faz os outros perderem! Dunga filha da mãe! Neymar! Meu grande gênio de tenra idade! Menino de ouro! Venha nos salvar com sua sabedoria pura do povo da favela, sem corantes e aromatizantes. Escola é engodo. A favela é a verdadeira professora!

Aliás o grandioso Neymar teria feito a nossa nação ganhar esse hexa. Um cara que tem bom gosto, gosta de pagode, verdadeira música das ruas, saboreia uma deliciosa cerveja. Quem não gosta de cerveja? Somente um imbecil carola para não gostar da bebida MAIS DELICIOSA de todas. Gosta de groselhina, de matinho, Marcelo? Matinho é bebida para viados como você. Vai dar seu cú para o Mico Jegue e pare de escrever bobagens neste blog!

Tenho o direito de ter a verdadeira sabedoria da alienação. Sei que tenho cérebro (o médico lá do posto me falou) e por isso não preciso aprender nada. Se tenho cérebro é só usar. E não preciso de escola. A galera lá do morro é que me ensina. Até os bacanas na Barra da Tijuca estão fascinados com a sabedoria natural do morro. Reconheceram a nossa força da favela! Tamos criando cada gíria massa! Os intelectuais de merda é que vão se fuder! Quero ser feliz! Tenho orgulho de ser favelado! Tenho orgulho de não precisar estudar para ser inteligente!

A noite é a verdadeira escola. Nas boates aprendi e aprendo muito. Minha galera sabe das coisas. Ah, e a Rede Globo também. Não aquele chato que apresenta aquele programa da madrugada de sábado. Ainda bem que nunca fico em casa sábado a noite. Só maricas fica em casa sábado a noite. Correr riscos é a ordem! Quem não arrisca não petisca ué! E cada cachorra que tenho petiscado! Popozuda é feia? Só viado para achar isso! Gata com um bundão... fora de série! As boazudas é que são da hora! Mulher cheia de papinho é uma enrolação só. Comigo é no pá-pum. Por isso que as burras são as melhores! A gente chega logo e CRÉU! Como 100 numa noite! Mas o viadinho que manda neste blog não sabe o que é bom. Merece uma currada de um bom macho.

Seu viado de merda! Se eu fosse você acabava com este blog ridículo. Coisa de quem não sabe viver e que esta de mal com a vida. Você é invejoso? Não gosta de quem faz sucesso, é? Respeite quem não pensa como você. Aliás, você não merece respeito. Perde tempo falando bobagens neste blog, ofendendo pessoas de bem! VÁ PARA O INFERNO, MARCELO IDIOTA, VOCÊ E SEU BLOG.!

Me deixa eu ser feliz com minha alienação sábia. Intelectualidade faz mal. Impede a felicidade das pessoas!

Vai tomar no cú, seu viado!!!

(Escrito numa Lan House da minha amada comunidade).

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Quero um país desenvolvido campeão da copa

Ingênua essa população brasileira. Na hora de torcer, preferem que ganhem ou a "seleção" brasileira ou a de um país sub-desenvolvido. Argumentam que a conquista representa uma "alegria" para pessoas acostumadas a sofrer. Tolos!

Substituir a alegria verdadeira de uma qualidade de vida digna, satisfatória, por uma alegria postiça de uma evento de lazer, uma mera brincadeirinha é, sinceramente, coisa de gente bem trouxa ou que gosta de sofrer.

Portanto, quero um país desenvolvido, ricaço ganhando a copa. A Alemanha, por exemplo. Nesse país, o povo já não sofre tanto, e, tendo a alegria verdadeira de uma vida digna, pode realmente se entregar a alegrias fictícias da brincadeirinha da copa.

Os brasileiros, ao invés de ficarem rezando para a conquista de um bezerro de ouro que é a taça, deveria rezar por melhorias de vida, sair as ruas para incomodar autoridades, cobrando delas a responsabilidade que tem. É boicotando produtos de grandes empresas, para que empresário gananciosos entrem na falência, é educando (mesmo!) as crianças com inteligência e não se limitando a matérias didáticas, mas ensinando cidadania e respeito ao próximo. Essa deve ser a mobilização da população de nosso país.

Mas como crianças dotadas de retardamento mental, as pessoas no Brasil choram, matam e morrem por essa tal de copa, que seria válida, se fosse vista apenas como uma diversão. Associar patriotismo a copa foi uma ideia infeliz que acaba conduzindo o nosso país para o caminho oposto ao que deveria seguir.

E lucram-se empresários, cartolas, jogadores e equipe técnica, rindo da cara de um povo trouxa que deixa de comer para comprar cornetas, bandeiras, camisetas e até caríssimas TVs só para se dedicar a essa pataquada toda. Um povo assim merece continuar sofrendo, e muito, para aprender a deixar de ser infantil.

Por isso, eu torço para que um país bem desenvolvido, com excelente qualidade de vida ganhe essa copa. nem América Latina e muito menos a África (que vai sair no prejuízo por ter organizado esse mega-evento, algo que os "patriotas" de meia tigela nunca vão saber e que poderão pagar depois que a copa de 2014 acabar) merecem ganhar.

Quem não dá boa vida ao seu povo merece mesmo é se afundar em um poço e não sair mais dele até que amadureça e não coloque brincadeiras de criança no lugar de necessidades.

Tomara que a Alemanha ganhe. Se não for, outro país rico já basta. Eles não precisam de ilusões para serem felizes.

A grande lição que podemos tirar desta derrota

Hoje a "seleção" perdeu com justiça. Perdeu porque desde 1986, não existe mais o mitológico "futebol arte", substituído pelo "futebol-negócio", existente até hoje, mas invisível aos olhos de quem coloca a emoção acima da razão.

A mediocridade brasileira conseguiu ganhar de seleções medíocres. Mas foi só enfrentar uma seleção de verdade para encarar a realidade.

A falsa alegria que tantos queriam que compensassem a miséria foi embora. Agora, vamos lutar para termos a verdadeira alegria da boa qualidade de vida. Pois, acreditar em futebol é como acreditar em duendes, algo que foge de qualquer realidade.

Três principais lições ficarão com esta derrota:

- futebol na copa não é patriotismo
- ilusões não substituem qualidade de vida
- existem brasileiros que não curtem nem futebol e muito menos "copa"

Que um dia o povo brasileiro amadureça e aprenda a gostar de futebol como um mero esporte apenas. E não como uma panacéia pseudo-patriota que vai tirar a nação do sub-desenvolvimento.

A "seleção" já venceu o bastante. Está na hora de mudarmos os vencedores.

Chega dessa ilusão. Porque futebol é só diversão. Nada mais que isso.

E sendo uma mera diversão é a sua maior qualidade. Colocar patriotismo no futebol é eliminar sua verdadeira vocação de entreter as pessoas.

Hoje a "seleção" saiu derrotada. Mas o Brasil, o país, saiu vitorioso. De verdade.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Tenho vergonha de ser brasileiro

Justamente foi isso que vocês leram. Eu tenho vergonha de ser brasileiro. Sobretudo nesta época de copa, em que vemos a verdadeira cara do brasileiro: acomodado, submisso à mídia e aos valores sociais e completamente alheio à resolução dos problemas do país. Um povo que ao invés de resolver os seus problemas, utiliza o fanatismo de copa como tapa-buraco de seus problemas. Um típico comportamento de quem é acomodado e tem a auto-estima em níveis bastante reduzidos.

Um povo que não tem o senso do ridículo de comprar bandeirinhas, cornetas e até caríssimas TVs, para satisfazer aquilo que é entendido de maneira errada como "dever patriótico". Desde quando uma simples diversão é "dever patriótico"?

Nesta época todos ficam hipnotizados por uma mera equipe de futebol conhecida apenas como "seleção" ou como "Brasil", como se fosse toda a nossa população que estivesse correndo nos gramados de um estádio de futebol.

Já falei das incoerências dos fanáticos por copa e isso me envergonha. É uma demonstração clara e evidente de que o povo brasileiro é IMATURO e que essa asneira de acreditar na conquista de um campeonato como "salvação da pátria" é típica de bebê de 2 aninhos de idade. Melhor, talvez não. Há bebês muito mais maduros do que muito adulto em nosso país.

O povo brasileiro chega a ignorar e até negar coisas importantes só por causa dessa maldita copa. Em Minas Gerais, uma Universidade (sabiamente, acreditem) marcou o dia da prova para o mesmo horário do jogo da "seleção" brasileira. Boa parte dos que iriam fazer a prova ficaram revoltados e decidiram faltar. Otários. Foi bom para quem fez, que teve que enfrentar menos concorrentes. Os imbecis não sabem que a vitória da "seleção" não melhora a vida de ninguém, mas a aprovação em um vestibular melhora a vida de quem faz (e muito). No mínimo, o cara vai sair com um diploma que se não garantem pelo menos facilita o ingresso no mercado de trabalho.

E a conquista de uma copa? Posso chegar ao contratante e dizer "pô a 'seleção' ganhou e eu dei a maior força, torci pra cacete, dá esse emprego para mim?"? Com certeza o contratante, que não é nenhum otário, vai negar.

O povo brasileiro é tão trouxa e alienado que ficou muito feliz quando soube da conquista do Brasil do direito de sediar a copa de 2014 e a olimpíada de 2016, sem ter condições para isso. Parece que os alienados acreditam que os recursos virão do céu, patati-patatá... Costumam usar desculpas frouxas e até surreais para argumentar porque gostaram dessa conquista.

Na verdade esses recursos virão de desvios de verbas, acordos ocultos e corte de gastos em coisas como saúde e educação.

E o que eu espero desse povo? Nada. os problemas irão continuar, do jeitinho que estão. Talvez até piorem. Sabendo disso tudo, as autoridades querem investir mais e mais em entretenimento (circensis) para compensar (e bem mal) o fato da população não ter direito ao necessário (panis). Por causa disso, o Brasil se tornou a potência do entretenimento. E aí vem, além das citadas copa e olimpíada, "Lollapalooza Brasil", "Hola Brasil", "Maxim Brasil", "Fashion Rocks Brasil", "Tributo à Michael Jackson Brasil","Escambau Brasil", "Raio que o Parta Brasil", "Vai te à Merda Brasil" e por aí vai.

Tenho vergonha de ser brasileiro. Um povo bobo, alienado que ache bonito ser brega e pobre. Um povo idiota que coloca o fanatismo por 11 amarelados acima de qualquer coisa. Um povo que fala mal de um político para votar no mesmo cafajeste que ele criticou. Um povo que confia cegamente numa rede de televisão comandada com mãos de ferro por egoístas que tem o único objetivo de engordar suas contas bancárias. Um povo com baixíssima auto-estima que acha melhor festejar antes de arrumar a casa, que a diversão vai resolver todos os seus problemas.

Eu deveria ter nascido na Escandinávia. Não por acaso, lá possui os maiores índices de Desenvolvimento Humano do planeta. Lá ninguém tem o equivocado orgulho de ser brega e pobre. Lá, quem sai da faculdade sai com emprego garantido. Lá, as mulheres se casam por amor, não por dinheiro ou por estarem acostumadas (viciadas) por homens sem qualquer valor moral ou intelectual. Lá a dignidade é a regra.

Sinceramente, tenho vergonha de ser brasileiro. Mas como não tenho dinheiro para sair daqui e começar a vida no exterior é muito difícil (ainda mais que brasileiro tem a imagem de idiota lá fora - vão me encher o saco com coisas do tipo: "caipirinha?", "cachaça?", "Ronaldo", "dance um sambinha pra gente ver?"), fico por aqui aguentando essa merda, cercado de idiotas por todos os lados.

Pelo menos evito me meter em encrenca: não bebo álcool (por convicção própria - gosto de estar sempre sóbrio), não vou a noitadas, não tenho automóvel, não provoco brigas gratuitas (quem discorda de mim é que sempre começa a briga, quando há), pago meus compromissos em dia e procuro controlar - rigorosamente - os meus gastos. Faço o mínimo para tentar me manter de bem com a sociedade e comigo mesmo.

Mas olho ao redor e fico triste em saber que por causa de uma fútil festa cheia de bebedeira, por causa da vitória de uma equipe, algo banal, que não tem a menor utilidade para o cotidiano e o desenvolvimento de nosso país, a população chega a ter uma dedicação quase que mortal, coisa nunca vista em ocasiões realmente sérias.

Nesta época é que se conhece a verdadeira cara do brasileiro. Uma cara que envergonha aqueles que gostariam de ver o Brasil bem próspero. Por isso que um país grande, cheio de recursos, de matéria prima, variedade de alimentos e variação climática, vive na interminável miséria e gama de injustiças. É o país em que boas idéias fracassam e idéias cretinas (como o "patriotismo" de copa) prosperam.

Tenho vergonha de ser brasileiro. Tenho vergonha de viver em um país onde a burrice está na moda, onde sofrer é felicidade e ser pobre é motivo de orgulho.

É como eu disse antes. Eu não vivo em um país, eu vivo em um hospício.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Alta definição de imagem, com baixa qualidade de conteúdo? Ninguém merece!

Muito se está falando em alta definição de imagem, conhecida como HDTV. A imagem vem com cores mais vivas e maior nitidez.

Mas eu pergunto: para quê melhorar a qualidade de imagem se a qualidade da programação vem caindo horrores, reduzindo o seu nível para satisfazer pessoas pessimamente instruídas e de baixíssimo nível intelectual?

Dá para ver que o interesse em oferecer uma programação da qualidade passa bem longe da mente de nossos poderosos empresários da comunicação (tão poderosos que se uniram para criar um instituto altamente golpista e mercenário, com o objetivo de manter a população "tranquilamente" controlada). A consagração do sistema está se dando em um fútil evento que é a copa de futebol. Mais fútil, só se fizerem um "Big Brother" em um banheiro público. Melhor medir minhas palavras senão vão encarar essa como sugestão (eeeca!).

Não se vê mais programas que valorizem a inteligência, que eduquem (nem as !educativas" estão fazendo isso: a TVE e a Futura estão com programação convencional, aquela que deveria estar na TV aberta comum, mas como tudo é medido por baixo, esses canais acabam parecendo "cerebrais"), que mostrem beleza (não a de calipígias descerebradas - beleza de uma paisagem, da vida animal, etc.), que valorizem o ser humano como gente. Como ser humano. Não como bicho.

Mas parece que a TV foi feita mesmo para animais irracionais: só se vê coisas que estimulam o instinto primitivo. Sexo, violência, breguice e futilidades. Tudo para satisfazer aqueles que não conseguiram (ou não querem) desenvolver a inteligência.

Realmente esse HDTV parece um engodo inútil para enganar as massas. A campanha que lançou o sistema, falou em "democracia", dizendo que agora a população iria ter direito a TV de qualidade. Qualidade? Ver uma bunda em alta definição é qualidade? Ver idiotas pulando que nem macacos vestidos de amarelo é qualidade? Ver o close de um bandido feioso sendo preso é qualidade? Se for para ver essas porcarias, prefiro vê-las em baixíssima definição. De preferência mais embaçadas o possível.

Por isso que para mim, não preciso de TV. Quando eu arrumar um emprego que possa permitir a mim ter uma casa só minha, nem faço questão de TV. "Está louco? E a informação?", dirão os ingênuos. Responderei que informação busco na internet.

Informação... ora essa... como se a população usasse a TV para ver informação...

Me engana que eu gosto.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Coitadinha da Jaqueline Mourão

A nossa representante nas Olimpíadas de Inverno de 2010, além de enfrentar o imenso frio canadense, foi completamente ignorada pelo povão brazuca metido a patriota.

- Nínguém parou o que estava fazendo ou decretou folga para assistir a atleta;

- Ninguém compôs musiquinha para animar a torcida pela jaqueline;

- Ninguém ficou dizendo que a Jaqueline era o nosso país nas olimpíadas de inverno;

- Nenhum telejornal fez um especial só com reportagens sobre a atleta, com direito a saber sobre a cor da calcinha que ela irá usar na prova;

- Nenhuma rede de televisão passou propagandas insistentes com mensagens ufanistas bastante agressivas para favorecer a torcida por Jaqueline;

- Ninguém comprou bandeiras e vuvuzelas para urrarem feito bichos selvagens em favor da Jaqueline;

- Ninguém ficou o tempo todo dizendo que torcer pela Jaqueline era patriotismo;

Coitadinha da Jaqueline. Ninguém torceu por ela...

Torcer pela "seleção" de futebol é patriotismo. Torcer pela Jaqueline nas olimpíadas não é.

E coitado do povo brasileiro, tão iludido por 11 analfabetos feiosos podres de ricos...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

A copa chegou. Temos que nos proteger do fanatismo

Hoje, dia 11 de junho de 2010, começou a tão temida copa do mundo de futebol. Por motivos bastante fúteis, é a época em que o nosso país entra num recesso não-assumido, onde a mídia não consegue falar de outro assunto e onde muitos desocupados, iludidos com as vazias promessas de patriotismo ficitício, saem vestidas com as cores do uniforme da Seleção Amarelão.

A copa de futebol é semelhante ao Natal, quando as crianças imaginam que aquele velhinho vestido uma calorenta roupa de inverno - em pleno verão - vai dar presentes como prêmio por bom comportamento no ano. Na copa é assim. A diferença é que na copa, os adultos também agem da mesma forma. Uma mitologia infantil que acaba por encantar a população tupiniquim - com uma ajudinha da pressão da mídia, é claro.

Por isso os blogs que administro vão tentar ficar fora dessa patriotada, com textos inteligentes questionando, não o futebol, que é uma forma de distração válida e sadia, mas a incoerência resultante do fanatismo que gira em torno desse esporte, colocando-o num contexto muito superior ao que ele realmente pertence.

Proibi a publicação de musas brasileiras no Certinhas do Laranja, para tentar ficar de fora desse ufanismo irracional. Mas elas estão permitdas no Planeta Laranja e no Futebosta, quando o contexto permitir.

Mas textos envolvendo curiosidades e notícias sobre futebol continuarão aparecendo no Futebosta, já que o futebol, sendo o mais popular esporte do país, rende muitas estorias e fatos que merecem ser mencionados.

Afinal o planeta Terra é uma bola. E na época de copa, as pessoas chutam o planeta para escanteio e se dedicam a cultuar outro tipo de bola.

Seja quem for o vencedor desta copa, o nosso país vai voltar a sua velha rotina, os velhos problemas de sempre e a vida de cada um não irá mudar. Depois que o espetáculo acabar, os jogadores estarão bem longe, indo com as suas renas para um lugar bem longe de nossa nação.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Não entendo a excessiva importância dada ao futebol

A imprensa toda tratou o assunto da convocação de Dunga com uma seriedade quase sem tamanho. Parecia mesmo que estava escalando soldados para uma guerra que (supostamente) iria trazer benefícios a população brasileira. E o povo, otário, acreditando nessa seriedade, resolvei dar o seu palpite, para qual "soldado" seria mais capaz de trazer o "benefício" à população.

E agora com o anúncio feito, lá vem a população chamar Dunga de burro, ou coisas parecidas. Que deveria ter convocado fulano e sicrano. Gente, isso é apenas futebol. Espetáculo, distração! Não é para se levar a sério! A vitória ou derrota da seleção em nada vai interferir no cotidiano da população. Corrijo: a vitória talvez influencie... negativamente, graças a feriados e a ilusão de felicidade abstrata que gera no povo brasileiro.

O nosso povo é Maria-vai-com as outras. Todos bebem uma bebida de gosto ruim, porque todos bebem. Ouvem as músicas que todos ouvem (tadinha da Laura Nyro. O sucesso dela no Brasil é quase zero. Também, não empinava o traseiro como a Beyoncé e ainda por cima está morta). Fazem o que todos fazem, pensam o que todos pensam. E curtem futebol porque todos curtem.

Quem gosta tem a ilusão de que o seu esporte favorito (qual? qual?!) é uma unanimidade. Mas quando essa unanimidade é quebrada, entra em pânico. Aquele que diz não curtir futebol é visto como antipático, louco e até terrorista. Quem gosta sempre se sente ameaçado por quem não gosta, mesmo que aquele que não gosta de futebol respeite o fato de outros gostarem.Porque a simples existência de alguém que não gosta de futebol incomoda quem gosta. Pois unanimidade dá a ilusão de que o gosto por futebol é natural, "está no sangue". "E como deve ser o sangue de quem não gosta?" pensa o boleiro, frustrado com a revelação de que existem brasileiros que não curtem futebol. E aí fica noites sem dormir, pensando que o não-boleiro irá matá-lo ou pelo menos extinguir o futebol no dia seguinte.

Pura paranóia de fanático. É uma pena que boleiros pensem assim. Mas é coerente com o pensamento doentio de quem vive em função do futebol e acredita que toda vitória de um time ou da seleção, irá acabar com as injustiças sócio-econômicas. E na verdade só se perpetua.

É uma pena ver o povo agir desse modo,de maneira tão fanática, achando importante que fulano ou sicrano tenha sido convocado para uma mísera peladinha mundial, em que 11 homens correrão atrás de uma bola para enfiá-la em uma trave para depois trazer uma estátua de ouro que não servirá para nada.

Se futebol fosse visto apenas como uma diversão sadia, merecia respeito e até admiração de quem não curte esse esporte. Mas como não tolero doenças e fanatismo é uma doença, o melhor mesmo é condenar.

O brasileiro não está preparado para gostar de futebol. Quando uma pessoa se vicia de uma determinada coisa, deve ser afastada daquilo. O próprio comportamento ensandecido dos torcedores já demonstra que normais eles não são. São comuns, mas não normais.

Portanto, para mim, tanto faz como tanto fez. Foi até bom Dunga ter evitado a maioria das estrelas na convocação. Um dos poucos estrelinhas, Robinho, é o único, desde 1990 que realmente joga futebol a moda antiga. Porque os outros estrelas descartados por Dunga, não passam de comedores de mulher e colecionadores de carros importados que jogam uma peladinha de vez em quando.

Porque na era em que tudo está se mediocrizando, até mesmo no futebol, todos preferem se contentar com a mediocridade. Até porque não precisa jogar bem para ganhar uma partida, basta fazer gols. Os gols é que garantem os pontos. Foi como na copa de 2002, que a seleção, repetindo o feito da França na copa anterior, preferiu usar o "jeitinho brasileiro", vencendo na maracutaia e no suborno, já que os adversários propositalmente perdiam para favorecer os amarelos. A cara de "dever cumprido" feito pelos alemães na final de 2002, soltou essa desconfiança.

Espero que um dia as pessoas passem a gostar de futebol de maneira mais equilibrada, sem levar o esporte a sério, dando umas boas risadas e não sofrendo com as derrotas. Porque derrotas muito maiores são as que sofremos no nosso dia-a-dia, dadas ao egoísmo e as desiguialdades que tanto impedem que alcancemos a verdadeira felicidade. Felicidade que nunca vai estar num grito de "gol!".

Copa, copa, copa: nem começou e já não aguento mais!!!

Hoje teremos a maldita escalação para jogar essa porra de copa do mundo. Esté sendo tratado como um evento importantíssimo, como se a vitória dessa $ele$$ão fosse trazer a paz mundial ou acabar com as injustiças na face da terra, devido a exagerada importância que o povo tolo dá ao evento.

Nada tenho contra quem gosta de futebol de maneira sadia. Futebol curtido sadiamente, como divertimento apenas, é bom. Mas sei que não é de maneira sadia que o povo curte esse esporte (viu? Esporte, lazer, divertimento e é só isso! Só isso, viu?). O povo, fanático, trata como dever cívico. Até quem não costuma gostar de futebol passa a gostar em época de copa justamente por acreditar ser um dever cívico. Mas não é e nem vai melhorar vida de brasileiro nenhum.

Temos 5 títulos na mão. E continuamos com os mesmos problemas, as mesmas injustiças, a mesma miséria. O futebol vai melhorar a vida de quem? Só dos jogadores e equipe técnica. Dos patrocinadores eu nem digo, já que nasceram ricos mesmo.

O Zé Poveco deve pensar assim: seu barraco caiu? Futebol resolve. Não tem comida? Come a bola. Viciado em drogas? Vicie-se em futebol? Está sozinho? Namora o Adriano. Vai morrer? Morra pela seleção.

Não aguento mais essa alienação toda em torno de um esporte que nada de concreto vai trazer de bom ao povo. Somente um título. Nem a taça vai ficar com o povo. Vai ficar na CBF, na mão dos cartolas. Se derretesse o ouro da taça para resolver os problemas dos pobres, já seria alguma coisa.

Povo sem educação, manobrado pela mídia e pelas regras sociais, burro, alienado é isso aí. Tome mentira e tome a manutenção das injustiças. Acreditam que o grito de "gol!" soe como "socorro!" nos ouvidos da elite. Elite que com certeza estará alheia a essa patriotada toda. Porque ela é quem cria esse circo, ela é quem sabe as falcatruas desse sistema.

E depois da copa, com a seleção vitoriosa, a carruagem vira abóbora e voltaremos aos problemas de antes, que todos se negaram a resolver.

E ainda temos que aturar o principe encantado se transformar em imperador. O imperador Adriano.

terça-feira, 30 de março de 2010

Mulherengos nunca deveriam casar

Foi a tona o caso de traição do apresentador de TV Jesse James, casado com a famosa atriz Sandra Bullock. E não param de surgir mulheres que admitem ter tido um caso com James. Coisa horrorosa que deverá acabar em divórcio. Mais uma mulher linda e classuda livre no "mercado".

Deveria existir uma lei que proibisse mulherengos de se casarem. Aliás eu nem sei porque mulherengos ainda fazem questão de se casar. Nunca estão satisfeitos com o que conseguem! Acho que eles se casam por "dever social", porque vocação para maridos eles não tem mesmo. Deveriam ficar em suas orgias intermináveis.

Quem casa deve saber que existe um compromisso com a pessoa com quem a gente convive. casamento não é brincadeira de criança. E nada tem de contos de fada. Casamento é quando duas pessoas resolvem repartir tudo, inclusive os sofrimentos e sua missão é um tentar eliminar o defeito do outro. Casamento é união e quem não pensa assim deveria evitar ao máximo o matrimonio e se não evitou, se divorcio mais rápido possível.

Isso sem falar que os mulherengos tiram as mulheres do alcance de quem realmente gosta delas. São muitíssimo comuns casos em que um cara se casa com uma mulher que não gosta (e pensa que gosta), enquanto quem realmente gosta da mesma mulher fica só em um canto chorando por ter perdido a amada por um cafajeste.

E o pior é que as mulheres ainda continuam fascinadas por cafajestes, caras maus e metidos. Parece que na cabeça delas existe a tola ideia de que homens maus são "mais machos", só porque o comportamento mau combina com a imagem estereotipada do macho.

Meus recados: machões, existam de se casarem e vão para a farra, para a bebedeira, para os estádios de futebol. São seus habitats naturais. E mulheres, aprendam a escolher homens. Candidatos a marido devem ter caráter. E por favor, tirem da cabeça a absurda ideia de tentar transformar cafajestes em gentlemans. Eles não tem vocação para isso.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A mídia e o futebol, por Marcelo Pereira

Nesta época de copa é bom tomarmos cuidado, pois toda a burguesia, através de propagandas, artistas famosos e muita lavegem cerebral, vai tentar impor ao brasileiro o fanatismo pelo futebol.

Falo um pouco a respeito, neste vídeo sem imagem em movimento, apenas com a minha voz. É um texto introdutório, apenas para reflexão.

Futebol é válido, sim. mas apenas como diversão. Tratar o futebol nas copas como dever cívico já é sinal de que já atingiu níveis alienantes. nada mais anti-patriótico do que achar que uma vitória na copa vai salvar o país. Vai salvar quem está envolvido, isso sim, incluído ricaços como os jogadores e os empresários patrocinadores e dos meios de comunicação.

Ser patriota é deixar de ser tolo. É deixar de acreditar em quem nos ilude e nos manipula.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Jogador estrangeiro é bem diferente...



Petkovic, o craque sérvio que vem alegrando a torcida no futebol brasileiro deu uma declaração que pode soar meio amarga nos ouvidos do PiG, mas admirável para quem tem conscientização política. No programa da Ana Maria Braga, ele disse que ele, sua família e seu povo viviam em melhor situação quando o país dele era socialista.

E a alienada população achando que a queda do Muro de Berlin era sinônimo de liberdade e prosperidade.Claro que o antigo socialismo não era perfeito, já que as ideias lançadas por Karl Marx em seu livro O Capital, que eu tive a felicidade de ler, nunca foram postas em prática em nação nenhuma.A declaração de Petkovic mostra que tem gente que realmente tem a cabeça no lugar no futebol.

Futebol pode até estimular a alienação, mas nem todos os torcedores e jogadores são alienados. Desde que se saiba o que é realmente o Futebol, tudo é válido.E não adianta cantar o medonho "funk" do Pet. Não há nada mais capitalista que o "funk" carioca, não é, MC Leonardo?


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Quarta-feira de Cinzas

É meia noite. O carnaval se dá por encerrado. Um folião comenta:

- Bom, a diversão acabou, é meia-noite. Eu, que estou vestido de príncipe vou voltar a ser um maltrapilho. Meu primo, que dirigia o seu carro, vai virar uma ratazana. Seu veículo vai virar abóbora e esta gata aqui do meu lado vai virar uma mocréia pra lá de feia. É só eu dar um pulinho e o encanto acaba.

O folião dá um salto e um pequeno clarão acontece, acompanhado do som de "puff!". Ele comenta:

- Gozado... Continuo com a fantasia de príncipe, meu primo ainda está lá, o carro ainda é carro e esta gata ao meu lado continua a maior gata. Nada mudou?

O folião senta alguém cutucando o seu ombro. Ele se vira e fala:

- Pois não?

Recebe um violento soco na cara. Quem deu o soco fala:

- Olha aqui, seu palerma! Para de mexer com a minha mulé, viu? Vumbora, safada!

Era o marido da tal gata. A esperança afetiva é que virou abóbora.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Eu não odeio futebol

Parece que para todo mundo ou é oito, ou oitenta: ou você ama desesperadamente ou odeia mortalmente. Nada disso. Existem inúmeros níveis de admiração ou de repulsa.

Eu particularmente acho válida a a existência do futebol. É um esporte, é divertido e as pessoas precisam se divertir. Eu não curto, acho tedioso, não me dá prazer, mas não chego a odiar.

O que eu acho chato também é o fanatismo que gira em torno do futebol. As pessoas parecem que não gostam de futebol para se divertir, mas como obrigação social. Parece que estão mais interessadas nos gritos de "goool" e na comemoração de final de jogo do que no futebol em si. Gostam de futebol porque sabem que a maioria das pessoas gosta. Há o clima de festa, que não existe em outros esportes. Como brasileiro é doido por festas, são grandes as chances disso ser verdade.

E há a obrigação "cívica" de gostar de futebol. Se você não gosta, é anti-patriota, anti-social, antipático e muitas vezes rotulado de inimigo. Diga que não torce para nenhum time e já estarão te olhando atravessado, como se você fosse uma ameaça aos outros.

Esse fanatismo é estimulado pela mídia, já que torna as pessoas mais vulneráveis a propagandas e induções ideológicas. E também mantém o povo ocupado. Legal para as autoridades saberem que o povo, ao invés de estar lutando pelos seus direitos, está com a cara grudada na TV durante o jogo de seu time ou da $ele$$ão. Uma verdadeira aula prática de hipnose.

Portanto, quando eu digo que não curto futebol, não me odeiem. Se ponham em meu lugar. Gostam de hockey no gelo? Não? Então!

Vivemos numa democracia e todos tem o direito de gostar ou não de alguma coisa. Só não tem o direito de serem manobradas e enganadas pela mídia e pelas regras sociais. Porque aí já não é o gosto salutar, é submissão e alienação puras.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Atriz da Globo critica realização das olimpíadas

A atriz Thalia Ayala, contratada da Rede Globo, deu uma declaração que não interessa a empresa pela qual ela trabalha:

"Eu sou bem contra esse negócio de Olimpíadas e Copa acontecerem num lugar sem muita estrutura. Aí ficam pensando onde vão colocar trem-bala, o que fazer com o tráfico...", declarou a bela atriz (que como toda mulher linda e inteligente, está comprometida), em entrevista durante um evento de moda.

Parabéns a uma declaração tão sensata. Espero que por causa dessa declaração, ela não seja jogada no olho da rua pela globalizante empresa. A Rede Globo tem um enorme interesse na realização dessa olimpíada e muito mais interesse ainda na realização desta copa.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ânus de 2010



Pronto, já começou. Esse ano que promete ser um saco para quem é intelectualizado, promete lavar muito as cabeças dos incautos e dos incultos.

Porque será que todo ano de Copa é ano de eleição presidencial? Hmmm... isso cheira a marmelada em dobro.

Enquanto isso, enchentes, deslizamentos, seca, má distribuição de renda e muita lavagem cerebral (cortesia da mídia PiG), vão fazendo as classes sofridas sofrerem cada vez mais. E não haverá "Criança Esperança" que socorra.

E para o resto, bastam festas, fogos e muita bebedeira e gritaria. Pois é disso que o povo gosta.