Pular para o conteúdo principal

Adesão ao futebol comprova conservadorismo das esquerdas

Brasileiro é um povo conservador, em seu todo. Eu sempre percebi isto. Mesmo as esquerdas tem o seu conservadorismo, só que mais moderado que a direita. As esquerdas abrem espaço para ideias mais progressistas, mas há assuntos tratados como "cláusula pétreas" que não podem ser alterados, mesmo que fosse necessária a sua alteração. O futebol é o maior destes assuntos.

A natureza não dá altos e o povo brasileiro, tradicionalmente inseguro, prefere se agarrar aquilo que dá certo, mesmo que seja a bobagem mais fútil do mundo. As esquerdas, preocupadas em agradar ao povo, resolveram ser conservadoras em alguns assuntos, pois entenderam que certas zonas de conforto devem ser preservadas.

Esta copa já está sendo marcada pelo silêncio daqueles que não curtem futebol. Com o fim da maior comunidade de aversão ao futebol no Facebook e com a adesão maciça da mídia alternativa ao futebol, repetindo feito papagaio o que é falado na mídia corporativa odiada pelos esquerdistas, os não-torcedores se isolaram ainda mais, tendo que se virar para se divertir com relativa tranquilidade enquanto a massa ensandecida berrava pelo fútil esporte.

A insistência das esquerdas com o futebol está bem chata, nos limites do quase bullying. Sabe aquele cara que só fala em um assunto só e mesmo que você mude de assunto, ele sempre arruma um jeito de incluir o assunto favorito dele no meio? Pois é. A mídia alternativa resolveu agir desta forma, sabe-se lá com que interesse. Aumentar público? Talvez.

Não é somente no futebol que as esquerdas demonstram seu conservadorismo. Mas é no futebol que o conservadorismo das esquerdas se torna mais evidente. Apesar de incômodo e inadequado, é compreensível se lembrarmos daquilo que fali no começo desta postagem: de que o brasileiro é um povo conservador. Poucos tem a coragem de desejar a mudança total do sistema político-econômico-social vigente.

Muitos dos valores em que acreditamos são os mesmos de 200 anos atrás. o ritual da vida adulta é seguido de forma rigorosa pela maioria das pessoas. As estruturas de poder são as mesmas do Brasil pós-descobrimento. Alem de que nos sentimos confortáveis até com os problemas crônicos do cotidiano, servindo de um estranho entretenimento que nos faz reclamar das coisas.

Nossa recusa em mudar as coisas para tentar melhorar a realidade nos fez conservadores. E não esperemos que as progressistas esquerdas mudem. Elas dão sinais claros de que não querem mudar. Aceitaram o golpe numa boa. Ninguém se mexe para tentar revogar as maldades de Temer. Desemprego aumentando, salários encolhendo e todos felizes com a Reforma Trabalhista.  

É, brasileiros são conservadores, inclusive a esquerda. É preciso nunca mudar para que nada mude. Deixem tudo como está. O país que se exploda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com Futebol, Esquerdas fazem o jogo da Direita

Quem visitou nesta semana os sites de esquerda percebeu que o futebol passou a ser o principal assunto na mídia alternativa. Pior: do mesmo jeito que é feito na mídia corporativa, com os mesmos pontos de vista. E ainda pior: com direito a exaltações ao direitista Neymar, tucano assumido e frequentemente usado como prova de que a meritocracia "dá certo". Só faltava a esquerda pedir para Neymar mudar de lado na orientação política. O que não deve demorar para acontecer.
A Direita é que foi responsável por criar e desenvolver o fanatismo futebolístico. Goste ou não da realidade, o fato é que o gosto pelo futebol foi ensinado através da mídia corporativa e consagrado pelos costumes sociais. Inclusive os que seguem ideais de esquerda e vivem falando mal da mídia corporativa tem que admitir isso.
O futebol tem características típicas de direita. É um trampolim seletivo para alguns jovens pobres, que com o tempo, graças a subida rápida de classe social, passam a exaltar ideais de d…

Torcida pela derrota da "seleção"

Se você quer que o falso patriotismo de copa acabe e que o futebol volte a ser curtido apenas como esporte e não como "dever cívico", cante conosco:

- O AMARELÃO VAI DANÇAR! O SOSSEGO VAI VOLTAR!

Para que o Brasil volte a se desenvolver, eliminando problemas e desigualdades!

Além de nos livrar daqueles barulhos infernais das cornetas e dos berros da torcida que fica insana nesta época de copa.

Brazilians: GO HOME!!!

O show de imaturidade dos portais de esquerda brasileiros

Muita gente vai se sentir ofendida com esta postagem. Mas se repararmos que ainda somos uma população jovem com apenas 518 aninhos de idade, vamos entender a nossa superestimação a algo que foi criado para ser uma reles forma de lazer mas que é tratado como o nosso motivo maior de orgulho e urgente ato de salvação cívica de um país.
Não somos o único povo fanático por futebol, mas somos o único que faz a confusão entre este tipo de esporte e a própria pátria, a ponto de ver importância política no mesmo, como quem enxerga uma cabeleira em uma lisa casca de ovo. 
Somos infantis e ainda preferimos ser patriotas de brincadeirinha do que ser patriota de verdade. Até porque ser patriota de mentirinha é mais fácil e tranquilo. A história mundial comprova que patriotas de verdade só vivem se ferrando. O verdadeiro patriotismo exige uma luta comparável a carregar um arranha-céu de mais de 100 andares pelas costas. Melhor ser patriota de mentirinha.
Brincar é muito bom, mas não numa época em …