Seguidores

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Torcedores morrem de medo de serem criticados

Os torcedores de futebol sempre reagem de forma incômoda quando são criticados pelo seu exagerado fanatismo. Sabem muito bem que curtem algo supérfluo como se fosse necessário, como se fosse algo sério, importante como um assunto de segurança nacional. Mas se sentem bem em agir desta forma, pois colocar "seriedade" no futebol lhes dá maior prazer em seu hobby esportivo.

Mesmo sabendo que o que eles fazem é exagerado, pelo fato do futebol ser considerado uma regra social em nosso país, como uma forma de confraternizar brasileiros completamente diferentes, as críticas metem medo por sinalizarem ameaça de exclusão social. Quem gosta de futebol possui benefícios sociais que os não-torcedores não tem e perder isso não parece bom.

Criticados por terem como hobby favorito algo que é claramente ridículo, mas que é respaldado por quase toda a sociedade, além de celebridades, empresários poderosos e autoridades de governo, torcedores nunca reagem bem à essas críticas, preferindo devolvê-las acusando os não-torcedores de "anti-sociais".

E o que é mais engraçado que há uma inversão de papéis de vítima e algoz, já que os torcedores ao serem criticados, pedem 'respeito" pelo fato de gostarem de futebol. O mesmo respeito que eles se recusam a dar para que não curte futebol. O mesmo respeito que eles já recebem em franco excesso de autoridades, da mídia e de toda a sociedade. Pelo jeito eles não estão satisfeitos com o respeito que recebem de 99% da sociedade. Querem mais. Querem o respeito de 100%.

Chega a ser trágica e cômica essa reação dos torcedores, pois eles agem como se fosse uma minoria a ser excluída, o que está em oposição ao que se observa de fato. Pedem o respeito que já possuem, querem os direitos que já possuem, querem não apenas o direito de gostar de futebol, mas que esse mesmo gosto seja compartilhado por todos.

O que lhes incomoda na verdade é saber que o futebol não é mais uma unanimidade que sempre acreditaram ser. Só o fato de conhecer uma única pessoa a tentar desvincular o futebol do mito de "dever cívico" que ainda é arraigado em nossa sociedade, lhes dá revolta, já que esse mesmo mito é que faz com que o futebol seja mais "emocionante".

Só mesmo em uma sociedade com a brasileira que uma simples forma de lazer rudimentar cause tanto barulho, tanto do lado dos quem a amam, quanto do lado de quem as despreza. E é muito barulho por nada. Uma polêmica tola que desvia o foco de discussões mais amadurecidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.