Seguidores

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Uma banana para o futebol

O caso em que o jogador Daniel Alves, um brasileiro que joga lá fora, come uma banana jogada por um torcedor num ato que sugere racismo deu início a uma maciça campanha estranha em que várias celebridades apareceram comendo bananas. Uma atitude que pareceu muito mais um modismo do que uma campanha séria contra o racismo.

Antes de mais nada, somos totalmente contra o racismo. Mais até do que qualquer pessoa. Quem leu livros sobre o surgimento do racismo sabe que o racismo é muito mais cruel do que qualquer um pode imaginar e sinal evidente de falta de respeito pelo ser humano. Racismo é sinal de ignorância e desrespeito e deveria ter sido banido há muito tempo.

Mas usar campanhas anti-racismo desta forma me pareceu mais uma apologia ao futebol, se aproveitando da proximidade da copa. O futebol, para os brasileiros é superestimado, sendo tratado não apenas como uma forma de diversão, mas como motivo de orgulho e dever cívico/social. 

É fato que as mesmas celebridades que apareceram para supostamente apoiar o ato do jogador, já praticaram ou praticam alguma outra forma de preconceito em seus cotidianos ou já foram vistos em algum ato anti-ético que anula qualquer participação em campanhas que deveriam ser humanistas como essa. O que na verdade soa como uma mistura de vontade de aparecer, adesão a um modismo e propaganda gratuita do futebol. 

Se o que aconteceu com Daniel tivesse acontecido com outra pessoa, teria tido muito menos repercussão. Se fosse com um intelectual, seria solenemente ignorado. mas foi um jogador de futebol e esse detalhe foi mais do que crucial para que ganhasse a repercussão.

Ainda espero uma campanha realmente séria contra o racismo. Além de toda a palhaçada de puxar o saco de um jogador de futebol por causa desse preconceito realmente reprovável, o ato ainda serviu de preconceito contra a banana, alimento essencialmente nutritivo, prático e muito saboroso e que não deveria ser considerado "comida de macaco", já que por suas características, é uma fruta indispensável para a saúde humana, sobretudo para quem deseja uma perfeita circulação sanguínea.

Foi na verdade tudo uma palhaçada que com absoluta certeza, não vai servir para acabar com o racismo. pelo contrário: os racistas devem estar rindo pois a atitude das celebridades (muitas comprovadamente cabeças ocas) foi claramente ridícula. Uma verdadeira palhaçada que mais pareceu uma propaganda da copa do futebol e um ato de rejeição à banana, do que a solidariedade a uma vítima de racismo, seja qual for o prestígio social que possuísse.

Somos todos macacos? Claro que não. macacos reagiria a isso com muito mais seriedade e inteligência. Erramos a espécie animal: somos todos burros mesmo. Uns verdadeiros bananas.

E uma banana para essas celebridades bananas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.