Seguidores

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

A responsabilidade social dos jogadores de futebol

É conhecido de todos que a grande maioria dos esportistas, sobretudo os jogadores de futebol são alienados, submissos e com senso crítico, senão ausente, mas atrofiado. Nunca vi, pelo menos no Brasil, algum esportista em plena carreira, se utilizar de sua influência para alguma atitude considerada subversiva. Rebeldia, só a estereotipada, palavrões, cabelos esquisitos e dancinhas ridículas. Fora isso, nada que incomode políticos, empresários e pessoas conservadoras.

Há os que fazem assistencialismo social. Mas nada que mude a sociedade, apenas dando conforto a jovens carentes, mas estimulando neles o respeito ao sistema como ele é: injusto, problemático e teimoso, sem chances de melhorias reais, permitindo apenas as melhorias paliativas.

Mas porque falo nisso? Apesar de notar esse comportamento carneirinho em todos os esportistas - interessante, ainda não apareceu uma exceção, pelo que eu saiba - vou me ater aqui aos jogadores de futebol, pois a sua influência na sociedade é muito maior do que os outros esportistas.

Aproveitando a influência para mudar o país

Quando aconteceu a Copa das Confederações, uma espécie de aperitivo para a copa de futebol, houve uma onda de protestos que surpreendeu a todos. Apesar de ter sido fogo de palha, durando apenas um mês e meio, os protestos pareciam indicar que a sociedade estava mudando. Mas como os partidos políticos reivindicavam o controle das manifestações, o movimento acabou enfraquecendo, se dissipando, voltando ao que estava antes.

Os jogadores de futebol da "seleção", agiram de forma confusa, como se estivessem diante de um ataque nuclear. Não apoiaram os movimentos (apesar de declarações posteriores apoiarem superficialmente os protestos - para ficar bem na fita, sabem como é), atitude coerente com o baixo nível intelectual da maioria que também sempre esteve muito mais interessado em usar o futebol para enriquecer rapidamente.

Tudo bem, não precisa ser intelectual para chutar uma bolinha, mas os jogadores poderiam usar a poderosa influência que possuem na sociedade para tentar mudar o país. Poderiam ler mais, se informar mais, melhorar suas referências culturais (que tradicionalmente são péssimas), desenvolver a capacidade de análise, etc..  Sei que é um risco, pois os patrocinadores do futebol que mandam nos jogadores, sempre estiveram interessados no atraso do país, pois isso mantém empresários (os tais patrocinadores) e políticos no poder absoluto. 

Futebol é alienação: é a sua vocação e não se fala mais nisso

O futebol, como instrumento de hipnose coletiva, é um excelente instrumento de alienação. Ter jogadores tão alienados quanto seus torcedores é muito bom. Com o poder de influência que os jogadores possuem, seria perigoso que, por exemplo, um Neymar desse publicamente declarações que pudessem confrontar os interesses da CBF, de autoridades e de seus patrocinadores. Jogadores carneirinhos inspiram torcedores a serem carneirinhos.

Acredito até que, aproveitando a baixíssima escolaridade de grande parte dos jogadores e a personalidade ingênua, a CBF os treine para justamente evitarem declarações subversivas. A única forma de rebeldia permitida é a estereotipada, a da aparência. Cabelos estranhos, língua pra fora, dancinhas ridículas, piercings, tatuagens e coisas que por mais que choquem aos olhos, não incomodem o sistema tranquilo, muito mais interessado na vitória de uma equipe de amarelados sem cultura e sem senso crítico do que na melhoria real de sua população.

E melhorar a sociedade, só com paliativos e ONGs criadas para dar mero conforto a crianças carentes, mas mantê-las na tradicional alienação que os faz aceitar tranquilamente tudo de errado que está em nosso país. Querer mudanças radicais na sociedade é um violento tabu a ser proibido aos ingênuos jogadores de futebol, poderosamente influentes diante de uma sociedade que os tem como supostos "heróis". Uma oportunidade jogada no lixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.