Seguidores

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Explicando novamente a relação entre alienação e futebol...

Já publicamos aqui vários textos tentar colocar na cabeça da população o fato de que não é o futebol em si que é alienado, mas a maneira que o brasileiro curte futebol, colocando nele uma exagerada importância que não lhe pertence, transformando-o em símbolo pátrio e motivo maior de orgulho para o brasileiro, que o coloca acima até da qualidade de vida ou de coisas ainda mais sérias.

O futebol, para quem não sabe (e muita gente não sabe disso), foi criado APENAS para ser uma forma de diversão. A mídia, patrocinada por empresas interessadas em desviar o foco da sociedade para coisas mais supérfluas, estimulando o consumo de produtos ligados a modalidade esportiva, é que inventou essa "tradição" do "futebol-pátria", que transformou aquilo que foi criado como simples passatempo em uma obrigação cívico-social quase unânime. 

Esta transformação é que deve ser considerada como fonte de alienação, pois superestima uma forma de lazer supérflua, encarada com absoluta seriedade por quase toda a população, gerando inclusive muitos preconceitos e alguns problemas (principalmente pela "necessidade" de parar serviços essenciais para que se possa assistir aos jogos), que acabam gerando transtornos à sociedade.

Se a população aprendesse a tratar o futebol como mera diversão, sem obrigar ninguém a gostar, sem colocar acima de outros valores, seria uma forma sadia de se curti futebol. Mas não é assim. Os brasileiros que gostam de futebol curtem de maneira exagerada, como se estivessem cumprindo um dever cívico. Largam tudo e todos pelo prazer supérfluo de quase duas horas apenas. Acham sadio esse fanatismo (não existe fanatismo sadio) e chegam a considerar como "doido" quem se abstém a esse fanatismo.

Quando os torcedores são criticados pelo seus excessos, principalmente por quem não curte futebol, é para que sintam como é horrível ser criticado por causa de gostos pessoais, já que os torcedores vivem criticando quem não gosta. Quando a "pontaria" vira para o lado deles eles não gostam.

Será que não dá para eles pararem de levar a sério o futebol? Será que vão continuar amando mais a seus times do que a seres humanos? Será que vão continuar esperando a dignidade vir da forma de um título mundial no futebol? Isso é comparável a alguém que acha e vive esperando para que a vinda do Papai Noel fosse mudar as suas vidas.

A população que se amadureça. Não peço para que deixem de gostar de futebol. Peço para que deixem de levar o futebol a sério. Se houver necessidade, desliguem suas mentes do futebol, e façam algo mais importante. Amem mais as pessoas do que seus times, ainda mais se essas pessoas não curtem futebol. Temos mais títulos no futebol que outras seleções e já foi provado que isso não melhora a vida de ninguém (só da própria CBF, seus envolvidos e patrocinadores). 

Esperar que a dignidade venha na forma da vitória de um time ou da "seleção" é como se recusar a largar a chupeta, prorrogando a infância, esta sim, o que nos prende a alienação de que nossa população de "técnicos de mentirinha" é acusada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.