Seguidores

domingo, 27 de janeiro de 2013

Do contrário que todos pensam, patriotismo é abandonar o futebol

O povo brasileiro precisa amadurecer. O seu esporte favorito, tido por muitos como razão de ser e "manifestação de amor à pátria", o futebol, é a principal razão para o caos que se encontra o país agora. 

Irresponsavelmente, as autoridades decidiram organizar uma copa do mundo de futebol justamente quando nossos problemas se encontram cada vez mais fortes e difíceis de serem resolvidos. O dinheiro e o tempo que deveriam ser dedicados a resolvê-los está sendo desviado para as obras para a copa, já que a FIFA fez inúmeras exigências de infraestrutura para a realização da mesma. Se os brasileiros fossem maduros, fariam de tudo para cancelar esta copa.

E os problemas só aumentam. Muitos dos projetos de mobilidade não saíram do papel. Vários deles podem até ser cancelados. A reforma do Maracanã está acabando com uma escola, uma instituição indígena e pasmem, com o estádio Célio de Barros, que poderia ter sido incluído na reforma, pensando nas olimpíadas de 2016 (outro erro). A irresponsabilidade enrustida das autoridades não tem tamanho nem fim.

As autoridades conhecem muito bem o fanatismo da população em relação ao futebol e resolveram se aproveitar disso para abusar bastante e além de garantir lucros financeiros, ganhar visibilidade como "as autoridades que realizaram a copa no Brasil", acreditando estar inscrevendo seus nomes na história mundial. Bobagem inútil e desnecessária. 

Não era melhor ganhar visibilidade melhorando a qualidade de vida da população? Claro que sim. Mas isso não aparece, não é espetáculo. Legal é fazer coisas grandiosas para sair delas como verdadeiros faraós.

E a população brasileira como fica? Fica como está. Deslumbrada com a grandiosidade do evento, graças a tradicional imaturidade resultante do desestímulo ao raciocínio feito por mídia, sociedade e instituições, ela é capaz de abrir mão da qualidade de vida por causa de espetáculos grandiosos e bonitos quer só servem para encher os olhos e mais nada. Ainda mais se esse espetáculo envolver o seu ópio favorito.

A ideia arraigada de que futebol é patriotismo ainda é um grande obstáculo ao amadurecimento da sociedade, como uma chupeta que insiste em permanecer na boca de uma criança crescida. Enquanto a sociedade não largar a sua maior chupeta, autoridades vão usar e abusar esse vício tupiniquim para garantir lucros e mais lucros, esquecendo da qualidade de vida e mantendo o país no atraso subdesenvolvido que virou o seu carma incurável.

Como veem, patriotismo mesmo é largar o futebol. Sem ele, poderemos dar voos mais altos rumo a verdadeira felicidade da nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.