Seguidores

domingo, 12 de agosto de 2012

Enfim, um Futebol Honesto

Um conselho: quer medir a qualidade da "seleção" em jogos? Esqueça a copa do mundo. Como em campeonatos menos prestigiados a "seleção" joga sem a obrigação de vencer, as partidas se tornam mais honestas e limpas, sem a trapaça financiada por "cartolas" e patrocinadores.

Tudo bem que ontem, a "seleção" teve que se contentar com a medalha de prata, após perder para o México, que ficou com a medalha dourada. Mas jogou limpo. A falta de interesse coletivo no futebol olímpico tirou a histeria e a obsessão pela vitória, tão comuns e bastante rigorosas em copas do mundo. 

Com isso, tirou a necessidade de trapaça, de comprar os adversários para perderem (algo que poderá acontecer em 2014, quando a obrigação de vencer será ainda maior que outras copas). Essa trapaça, cortesia de "cartolas" e patrocinadores (afinal, futebol, assim como o entretenimento atual, é um negócio que movimenta uma quantidade incontável de dinheiro), foi que garantiu o pentacampeonato, numa copa caracterizada pelas atuações medíocres dos jogadores brasileiros.

os jogos do futebol olímpico foram até bons de se assistir, pois não houve a histeria coletiva, alienante, que faz com que o futebol perca o seu caráter lúdico e se transforme num desesperado motivo de felicidade coletiva que o povo brasileiro não consegue ter de outra forma, ou porque não consegue, ou porque não quer lutar para conseguir. Infelizmente a segunda alternativa é a mais comum.

Já que não houve interferência dos "cartolas", até porque eles não estavam sob tutela da FIFA e sim do COI, pudemos notar a qualidade real dos jogadores da "seleção", sem aquela crendice no falso mito de "melhores do mundo". O brasileiro precisa a aprender a curtir futebol como uma diversão, não como a razão de ser de suas vidas.

A medalha de prata deve ser festejada. Até porque coloca a "seleção" num excelente nível. Ficar triste com a prata, sabendo que em melhorias de vida, principalmente em Educação, estamos piores do que muitos países mais pobres que o nosso, é sinal de que ainda somos um povo infantil que, como crianças, ainda preferimos as brincadeiras do que os assuntos sérios, imaginando que as ilusões irão nos salvar da triste realidade que, há muitas décadas, recusamos a resolver.

Sinceras e respeitosas felicitações a "seleção" pela medalha de prata. Essa conquista vai ser boa para eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.