Seguidores

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Facebook atingido por uma avalanche de postagens sobre futebol

Ontem, no meu Facebook fui atingido literalmente por uma avalanche de postagens sobre futebol. A maioria esmagadora dos meus "amigos"*, gente que sequer conhece um ao outro, resolveram - como se tivessem combinado - comemorar as vitórias de seus times praticamente ao mesmo tempo e de uma vez só.

 Até quem não costumava colocar postagens sobre o assunto resolveu colocar, naquele papo de que "todo brasileiro tem a obrigação de torcer para algum time de futebol". Ou eram comemorações da vitória do time preferido ou ataques ao adversário que perdeu.

Para quem pensa que usar a internet faz de alguém mais esclarecido do que o outro, vale lembrar que a internet até agora só serviu para os brasileiros conformarem todas as crenças e valores - obsoletos, vale destacar -  que foram aprendidos por outros meios, sobretudo a televisão, ainda o maio de comunicação mais influente no Brasil. Prova disso é que para a maioria dos brasileiros, o aparelho de televisão se transformou em "artigo de primeira necessidade", algo que ele nunca é de fato, já que dá para ter uma vida digna e bem informada sem qualquer aparelho de televisão.

E o futebol é um desses valores retrógrados, tão arraigado na sociedade brasileira que se transformou em obrigação social irrecusável. É como se a pessoa se sentisse socialmente incluída só porque se "alegra" com a vitória de uma agremiação cuja vitória nada traz de concreto em matéria de benefícios. Como falei em outras postagens, o brasileiro sofre e se empolga por causa de uma mera ilusão.

E essa obrigatoriedade que força essa pseudo-unanimidade, que faz com que pessoas de diferentes características se unam em prol dessa ilusão, numa mobilização que não se vê em questões mais sérias e realmente influentes no cotidiano da sociedade. Como se a vitória de algum time pudesse trazer a redenção social, resolvendo - ou compensando - os problemas que nunca queremos resolver.

E as redes sociais, que de fato servem de termômetro para a falência social que se encontra a nossa sociedade, se torna um bom veículo para que pessoas de baixa auto-estima, desprovidas de qualquer valor sólido, achando que através do consumismo é que a sociedade brasileira irá se evoluir, mostrem o seu "amor" a times de futebol que nada fazem de útil, quando na verdade deveriam amar seres humanos, cada vez mais carentes de um verdadeiro afeto, este um sentimento cada vez mais ausente em nossa sociedade, que rede social nenhuma conseguiu suplantar.

----------------------------------------------------
* NOTA: Não sei porque a utilização da palavra "amigo" em redes sociais. Na verdade deveriam ser chamados de "seguidores", pois eles só seguem o meu perfil. Amigos de fato só dois ou três. Para ser amigo de fato, deveria haver um sentimento de afeto que não se observa em nenhuma rede social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.