Seguidores

sábado, 18 de fevereiro de 2012

União aprova R$ 2 milhões para ONG de Galvão Bueno

OBS: O grande difusor do fanatismo futebolístico também posa de bom moço. Mas ele aderiu a onda de criar ONGs (que para mim são na verdade OGs, mais governamentais do que nunca), para fazer caridade ostensiva e colocar na mente de jovens valores decadentes que já deveriam ter acabado faz tempo.

Muitas celebridades fazem isso, pois descobriram que a melhor maneira de manipular e censurar é através da cooptação ("eu te pago para você fazer o que eu quero"). Os EUA já descobriram este nicho e há uma suspeita de que a CIA esteja infiltrada em várias ONGs brasileiras, adaptando a maneira de pensar ao modo estadunidense. O mega especulador George Soros já é um frequente "anjo da guarda" de vários projetos no Brasil.

Daqui a pouco os criadores da ACTA, SOPA e PIPA, vão descobrir que o caminho é esse e esta forma de domínio, através da falsa filantropia, é capaz de imobilizar muito mais gente do que através da censura, da dor e das prisões.

Galvão já prepara seus "Galvãozinhos" e muitas celebridades já fazem a cabeça de muitos jovens dessa maneira. O que esperar do futuro, com essa subordinação?

União aprova R$ 2 milhões para ONG de Galvão Bueno

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012 - Folha SP



Uma organização não governamental ligada ao narrador Galvão Bueno aprovou um projeto de R$ 2,2 milhões no Ministério do Esporte.

O governo federal autorizou a Associação Beneficente Galvão Bueno a captar o valor em doações e patrocínios por meio da Lei de Incentivo Fiscal. A decisão foi publicada no "Diário Oficial da União" de anteontem.

O dinheiro é destinado ao projeto chamado "Escola de Formação de Pilotos". Dois filhos de Galvão, Cacá e Popó, são pilotos de automobilismo, antiga paixão do narrador, especialista em F-1.

Galvão e a direção da entidade foram procurados pela Folha na manhã de ontem. No fim da noite, ele respondeu que decidiu pedir o cancelamento do projeto nos próximos dias. "Nenhuma medida no sentido de implementá-lo será adotada", disse, em nota curta, via assessoria.

Galvão é presidente de honra da associação que leva seu sobrenome e sua mãe, Mildred Galvão Bueno, a presidente efetiva. A ONG tem sede em Londrina (PR), onde Galvão montou residência.

A entidade recebeu o aval do ministério para se beneficiar da lei de incentivo. Por meio dela, o governo federal abre mão de arrecadar impostos devidos por empresas (1%) e pessoas físicas (6%) em troca do uso do recurso como patrocínio esportivo.

Ou seja, o dinheiro que deveria parar nos cofres públicos vai para ações ligadas ao esporte. No caso de Galvão, o valor de captação pode chegar a exatos R$ 2.191.696,96.

O processo de aprovação do projeto no Ministério do Esporte durou três meses. A ONG fez o pedido em 15 de setembro de 2011. Em 20 de dezembro, houve a aprovação, e a decisão foi publicada anteontem. Quem assina é Ricardo Capelli, ex-presidente da União Nacional dos Estudantes e presidente da comissão que analisa projetos.

A ONG tem até 31 de dezembro para arrecadar os recursos. "O Galvão não tem nada com isso, ele é presidente de honra. A gente exerce o trabalho da melhor maneira possível", disse Mildred.
Galvão participa de eventos da ONG. O site da entidade o mostra em "feijoadas solidárias". Os filhos pilotos e artistas, como Zezé Di Camargo, aparecem em fotos nos encontros da instituição.

A ONG, fundada em 2003, tem como objetivo, segundo o site, "a convivência familiar bem-sucedida". Diz reunir "profissionais liberais (especialmente da área médica) e empresários em torno da liderança do sr. Galvão Bueno, reconhecido comunicador da área esportiva, e sua mãe, sra. Mildred Galvão Bueno".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.