Seguidores

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Premiação dos melhores do futebol é marcada or muitas gafes

OBS: Para um esporte marcado pela supervalorização de analfabetos que nem sabem falar direito, cujo único talento é chutar uma bola, é natural que hajam muitas gafes. Ninguém deveria se incomodar com isso, já que quem não sabe fazer, sempre dá mancada.

E sinceramente, nada mais "chocho" do que colocar o malaço do Huck para apresentar, com direito à presença de outro mala, o capo Teixeirinha, o melhor "jogador" da "seleção".

'Chocha' e com gafes, festa da CBF só premia dois corintianos

THIAGO BRAGA - COLABORAÇÃO PARA A FOLHA - 05/12/2011 - 23h30
Justificar


A festa organizada pela CBF para premiar os melhores do Campeonato Brasileiro foi 'chocha'. Muito formal e sisuda. Até os apresentadores, os globais Tiago Leifert e Luciano Huck, citaram que o público não estava nada animado.

A noite teve direito a uma grande gafe. Escolhido craque da galera, com 46% dos votos, o vascaíno Dedé não subiu ao palco para receber o prêmio porque estava dando entrevista para Galvão Bueno, o narrador da Rede Globo.

Outro momento de desencontro foi quando o ministro do Esporte, Aldo Rebelo foi entregar o troféu para Ney Franco, técnico do sub-20 do Brasil campeão mundial, o político ficou perdido na hora de ler o roteiro no teleprompter (aparelho que fica acoplado à câmera de tv e permite ler textos).

Na hora de entregar o prêmio para o melhor meia, a atriz Christine Fernandes provocou uma saia-justa ao falar que o seu gol preferido era o de Bebeto, na final da Copa União de 1987, que ela disse ser mais um título da equipe carioca. Mas a CBF reconhece o Sport como campeão daquele ano.

Outro momento constrangedor foi quando o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi entregar o prêmio para o outro meia. O envelope com o vencedor não estava nas mãos dos apresentadores, que tiveram que improvisar e acabaram se enrolando. Depois que o envelope apareceu, o vascaíno Diego Souza venceu.

Um dos pontos altos foi a homenagem ao ex-jogador Sócrates e ao radialista Luiz Mendes, mortos. O ídolo corintiano, inclusive, foi aplaudido efusivamente.

Pentacampeão brasileiro, o Corinthians não se deu bem na entrega do prêmio Craque do Basileiro.

Dos cinco indicados --o goleiro Júlio César, o zagueiro Leandro Castán, os volantes Ralf e Paulinho e o técnico Tite--, apenas a dupla de marcação no meio de campo, unanimidade durante toda a competição por sua regularidade, saiu do Auditório do Ibirapuera na noite desta segunda-feira.

O Vasco, segundo colocado, teve o lateral direito Fagner, o zagueiro Dedé e o meia Diego Souza escolhidos para o onze ideal segundo os jornalistas, além da dupla Ricardo Gomes e Cristovão Borges, escolhidos como os treinadores do ano, prêmio entregue por Mano Menezes, comandante da seleção brasileira.

Para melhor árbitro, foi escolhido o gaúcho Leandro Vuaden. Na hora de entregar o troféu de campeão para o Corinthians, outro momento hilário. Primeiro Ronaldo foi chamado ao palco e demorou a aparecer. Depois, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira ouviu um gracejo de Huck, após a sua dificuldade para ler o texto do envelope.

"O senhor, como apresentador, é um ótimo dirigente", falou o apresentador.

Para finalizar a noite desastrosa, na hora de entregar a taça, o Teixeira, ao invés de passar o troféu para o capitão do time, o lateral direito Alessandro, entregou-o nas mãos de Andres Sanchez, mandatário alvinegro.

Os vencedores, que formarão a seleção do brasileirão de 2011:

Jefferson (Botafogo)
Fágner (Vasco)
Dedé (Vasco)
Réver (Atlético-MG)
Bruno Cortês (Botafogo)
Ralf (Corinthians)
Paulinho (Corinthians)
Diego Souza (Vasco)
Ronaldinho (Flamengo)
Neymar (Santos)
Fred (Fluminense)

Técnico: Cristóvão Borges e Ricardo Gomes
Craque: Neymar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.