Seguidores

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Gilberto Gil: "Façamos mais festas. Elas ajudarão a arruimar a casa" (sic)

Leia a frase acima, citada pelo cantor e ex-Ministro da Cultura de Lula, Gilberto Gil. O que ele quis dizer com "arrumar a casa". Arrumar a casa seria deixá-la mais bonita ou mais confortável? Embora as pessoas que digam isso não assumam, a resposta fica com certeza com a primeira alternativa.

Arrumar a casa não significa deixar ela mais pomposa, mas empetecada. Nada a ver com maquiagem. É resolver os problemas desta casa. é consertar a janela quebrada, a prateleira solta, é ver se falta águia, se a pia está vazando, se há poeira nas estantes,se o lençol não está amassado. Mas o que a população brasileira entende como "arrumar a casa" se limita a pintá-la e colocar artefatos tecnológicos na mesma.

O que adianta colocar BRTs, VLTs, monotrilhos e o escambau se não conseguimos resolver os tradicionais problemas do transporte que já existe. Acham que o BRT vai resolver tudo? Gosto do BRT, mas o BRT só vai resolver o BRT. O BRT será inútil se nada for feito para resolver outros tipos de transportes, sobretudo os ônibus. Colocar uma minhoca de aço gigante somente para maravilhar busólogos infantilizados é um desperdício incalculável. Há soluções mais baratas, mas de aparência mais modesta, o que pode parecer sem graça para quem espera coisas espetaculares.

O que faremos com os estádios? Bom, seria válido se os estádios pudessem ser multi-funcionais, de uso constante, pólos de lazer que não agradem apenas a quem curte futebol. Que possam ser utilizados também para eventos não-esportivos, como forma de interação social a pessoas de todos os tipos, inclusive quem despreza o futebol.

Mas "façamos mais festas para arrumar a casa", justificando que antes das festas costuma-se "arrumar a casa", não me parece convincente. Antes de qualquer festa, só se arruma as coisas que estão relacionadas com esta festa. Ninguém vai transformar, por exemplo, o Salgado Filho num hospital de primeiro mundo por causa dessa copa. É um gasto que, na opinião de autoridades, é supérfluo, já que a prioridade, infelizmente, é totalmente voltada para a copa. Para uma festa, é muito mais importante comprar um equipamento de som potente do que consertar, por exemplo, uma rachadura em uma parede que não é visível.

Precisamos de BRTs? Precisamos de Estádios? De Hotéis? Se essas obras são "para a população" porque ela não foi consultada para se conhecer a real necessidade? Será que realmente vão durar após os eventos? O Brasil não tem tradição de conservar aquilo que foi feito para uma "necessidade" momentânea.

A frase de Gil não foi uma frase feliz, pois se não tivéssemos festa, consertaríamos outros problemas desta "casa". Corremos o risco de ver uma belíssima casa colorida e high-tech com torneiras vazando, comento caindo e botijões de gás explodindo, já que os seus donos preferiram embelezá-la para satisfazer os frequentadores desta enorme festinha que só irá dar problemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.