Seguidores

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

E se o Governo tiver a loucura de transformar futebol em símbolo pátrio oficial?

Ainda bem que nenhum governo teve a imbecilidade de lançar um plebiscito para que a população decida se quer que o futebol seja incluído entre os símbolos oficiais de nosso país, como a bandeira, o hino, etc.

Com a ignorância de nosso povo, mal instruído, submisso à mídia e desprovido da capacidade de discernir o que é importante ou não para a população, com certeza o plebiscito iria ser aprovado pela maior parte dos brasileiros, se tornando mais um item a "brilhar" dentro de nossa tradicional comédia de erros.

Futebol é somente uma mera diversão como outra qualquer. A associação do futebol com o patriotismo é na verdade uma fantasia, como acontece nos contos de fadas. O patriotismo atribuído ao futebol não é real. Um resquício da infância de todo brasileiro.

Embora o ex-prefeito de Salvador, Mário Kestezs (o Maluf da Bahia), durante o seu programa na rádio onde ele é dono houvesse declarado de que o futebol e sobretudo a "seleção" merecessem ser considerados símbolos pátrios, por representarem o país lá fora. Grande bobagem.

A importância patriótica dada ao futebol é muito subjetivo e não tem como ser provada. Fiquemos com os fatos: futebol é apenas uma diversão, um passatempo para quando não se tem algo mais importante para fazer.

Um prazer que dura apenas 90 minutos para depois disso tudo virar abóbora, com os jogadores, de heróis, passando a ser meros analfabetos ricos que só gostam de sair à noite, encher a cara e transar com belas mulheres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.