Seguidores

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Turismo de copa é turismo específico, segmentado

Muita gente está feliz da vida com a realização da copa de 2014. Quem é contra, como eu, argumenta que o país não está preparado (e não está MESMO!). Pois se não consegue resolver seus problemas seculares, o que dirá organizar um evento de nível internacional?

Quem é a favor - por motivos emocionais - argumenta que o evento trará muita gente e que os visitantes irão fazer o país crescer trazendo dinheiro mais que suficiente para compensar os gastos feitos para o evento. Será mesmo?

Nunca devemos fazer um planejamento esperando lucro certo. É claro que devemos fazer uma estimativa, mas nesse caso ela não é alta. Fazer grandes estimativas em relação a essa copa, é ter excesso de confiança nas autoridades, organizadores e total desconhecimento de como se gasta e recebe o dinheiro em eventos desse tipo.

Creio que o excesso de otimismo da maior parte população se dá - por ignorância, claro - por causa do fanatismo em relação ao futebol. Vivemos em um país onde o futebol é quase que um grande e incurável tumor difícil de ser extirpado. Chega a ser uma obrigação cívico-social tão arraigada que gera preconceitos muitas vezes graves contra quem não curte.

Esse fanatismo, até pelo seu caráter mitológico de "dever cívico", acaba por atingir grande parte da população. Pesquisas sugerem cerca de 75% da população em geral, 90% entre os homens, cuja obrigação de adesão ao futebol é maior.

Isso ajuda a população a acreditar na ilusão de que todos os seres humanos gostam de futebol. E consequentemente aparece a crença de que toda a humanidade virá ao Brasil para assistir aos jogos. Mas toda?

Se esquecem de que a copa é um evento segmentado, não geral, como muitos pensam. Um evento específico que trará apenas quem é naturalmente interessado a assistir aos jogos. E o grau de interesse de cada país ao esporte varia muito. Há os fanáticos doentes, como no Brasil, há fanáticos (mas moderados) como na Inglaterra (moderados, porque não transformam em dever cívico, como nós fazemos - os ingleses têm a consciência de que futebol é mero esporte), há os que gostam muito, os que gostam pouco e os que desprezam, (EUA é exemplo clássico).

Não esperem que toda a população mundial venha assistir aos jogos da copa de 2014. É mais fácil atrair muito mais turistas desistindo da copa e gastando bem menos dinheiro reformando e conservando nossas paisagens, gastando menos e lucrando mais.

O Brasil têm muitas atrações. Não precisa desta copa nojenta para se mostrar ao mundo.

Mas como as nossas autoridades, além de corruptas, são covardes, medrosas, teremos a tal copa e os resultados nada agradáveis que virão dela vão aparecer em 2015.

Quero ver de onde irão tirar dinheiro para reconstruir as ruínas de um país falido, como o Brasil estará ao encerramento da mal-vinda copa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.