Seguidores

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Quarta-feira de Cinzas

É meia noite. O carnaval se dá por encerrado. Um folião comenta:

- Bom, a diversão acabou, é meia-noite. Eu, que estou vestido de príncipe vou voltar a ser um maltrapilho. Meu primo, que dirigia o seu carro, vai virar uma ratazana. Seu veículo vai virar abóbora e esta gata aqui do meu lado vai virar uma mocréia pra lá de feia. É só eu dar um pulinho e o encanto acaba.

O folião dá um salto e um pequeno clarão acontece, acompanhado do som de "puff!". Ele comenta:

- Gozado... Continuo com a fantasia de príncipe, meu primo ainda está lá, o carro ainda é carro e esta gata ao meu lado continua a maior gata. Nada mudou?

O folião senta alguém cutucando o seu ombro. Ele se vira e fala:

- Pois não?

Recebe um violento soco na cara. Quem deu o soco fala:

- Olha aqui, seu palerma! Para de mexer com a minha mulé, viu? Vumbora, safada!

Era o marido da tal gata. A esperança afetiva é que virou abóbora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.